Inicial

Massagem e o amor  

“A ciência médica sabe que nós ainda não somos tão sábios quanto o corpo é.
Os médicos mais proeminentes disseram que nós não podemos curar o corpo; o corpo cura a si mesmo – nós podemos ajudar”.
O toque ou massagem são artes que você começa a aprender e nunca termina.
Elas seguem e a sua experiência se torna continuamente mais profunda e mais profunda, e mais e mais alta.
São artes muito sutis e não dependem da sua eficiência.
Ela não é somente uma questão de perícia, é uma questão de amor.
Aprenda a técnica, depois a esqueça.
Então, apenas sinta, intua e mova-se pelo sentimento.
Quando você aprende profundamente, 90% do trabalho é feito pelo amor, 10% é feito pela técnica. Apenas o toque em si; um toque amoroso; algo se relaxa no corpo.
Se você tiver amor e compaixão pela outra pessoa e sentir o imenso valor dela; se você não tratá-la como uma máquina a ser consertada, mas como uma energia de tremendo valor; se você for grato e essa pessoa confiar em você e permitir que você brinque com as energias, então, pouco a pouco, você sentirá como se estivesse tocando um instrumento musical. O corpo inteiro se torna uma chave para esse instrumento e você poderá sentir a harmonia criada dentro do corpo.
Não apenas a pessoa será ajudada, mas você também.
A massagem é necessária no mundo, porque o amor desapareceu.
Houve um tempo em que o toque dos que se amavam era suficiente.
Era um profundo relaxamento e parte do amor.
Mas isso desapareceu do mundo.
Pouco a pouco, nos esquecemos onde tocar, como tocar, quanto profundamente tocar.
Na realidade, o toque é uma das linguagens mais esquecidas.
Assim seja devocional
Quando você toca o corpo de uma pessoa seja devocional .
Enquanto massageando, apenas massageie.
Não pense em outras coisas porque elas são distrações.
Esteja em seus dedos e em suas mãos como se todo o seu ser, toda a sua alma estivesse lá. Não deixe que seja apenas um toque do corpo. toda a sua alma entra no corpo do outro, penetra nele, relaxa os nós mais profundos.
E faça disto uma brincadeira. não faça como um trabalho; torne-o um jogo e faça-o como uma diversão. Ria e deixe o outro rir também.

Trechos de Osho  (O Livro da Cura).